top of page

Felicidade

Qual é o objetivo de cada indivíduo na Terra? Quer a felicidade a qualquer preço. O que é que faz que cada um siga uma rota diferente? É que cada um de nós espera encontrá-la num lugar ou numa coisa que lhe agrada particularmente: uns buscam a glória, outros, as riquezas, outros ainda, as honrarias. O maior número corre atrás da fortuna, pois atualmente é o meio mais poderoso de chegar a tudo. A tudo ela serve de pedestal. Mas quantos veem realizada essa necessidade de felicidade? Muito poucos. Perguntai a cada um dos que chegam se alcançou o objetivo a que se propunha; se são felizes. Todos responderão: ainda não; porque todos os desejos aumentam na proporção daqueles que são satisfeitos. Se hoje há tanta gente que quer interessar-se pelo Espiritismo, é porque, depois de ver que tudo é quimera e, mesmo assim, querendo alcançá-la, experimentam o Espiritismo, como tentaram a riqueza e a glória.

Se Deus pôs nos corações essa necessidade tão grande de felicidade, é que ela deve existir em algum lugar. Sim, tende confiança nele, mas sabei que tudo quanto Deus promete deve ser divino como ele, e que a felicidade que buscais não pode ser material.

Vinde a nós, todos vós que sofreis; vinde a nós, todos vós que necessitais de esperança, porque, quando na Terra tudo vos faltar, nós aqui teremos mais do que solicitam as vossas necessidades. Mães desesperadas, que vos lamentais sobre um túmulo, vinde aqui: o anjo que pranteais vos falará, vos protegerá, vos inspirará a resignação às penas que suportastes na Terra. Todos vós que tendes insaciável necessidade da Ciência, dirigi-vos a nós, porquanto somente nós podemos dar ao vosso Espírito o alimento necessário. Vinde: saberemos achar um alívio para cada ferida e, por mais abandonados pareçais, há Espíritos que vos amam e estão prontos a vo-lo provar. Falo em nome de todos. Desejo que venhais pedir-nos conselhos, pois estou certa de que voltareis com a esperança no coração.


Staël



Allan Kardec – Revista Espírita: Jornal de Estudos Psicológicos. N. 3; Ano 3,1860. FEB Editora.

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page