O que é o Espiritismo?


Inicialmente, informamos que o termo Espiritismo foi criado por Allan Kardec, pela seguinte razão:

“Para se designarem coisas novas são precisos termos novos. Assim o exige a clareza da linguagem, para evitar a confusão inerente à variedade de sentidos das mesmas palavras. Os vocábulos espiritual, espiritualista, espiritualismo têm acepção bem definida. Dar-lhes outra, para aplicá-los à doutrina dos Espíritos, seria multiplicar as causas, já muito numerosas, de anfibologia. Com efeito, o espiritualismo é o oposto do materialismo. Quem quer que acredite haver em si alguma coisa mais do que matéria, é espiritualista. Não se segue daí, porém, que creia na existência dos Espíritos ou em suas comunicações com o mundo visível.”[1] (grifamos)


O Espiritualismo é uma doutrina filosófica que afirma a existência de uma alma imortal no homem, isto é, de um princípio substancial distinto da matéria e do corpo, razão absoluta de ser da vida e do pensamento, a crença na existência de uma alma espiritual, imaterial, que conserva sua individualidade após a morte, sendo o oposto de materialismo.


Por isso, passou Kardec a utilizar os termos espírita e espiritismo, por serem perfeitamente inteligíveis e mais apropriados à crença na existência dos Espíritos e nas suas comunicações com o mundo material.


O conceito de Doutrina Espírita ou Espiritismo pode ser definido como o conjunto de princípios e leis, revelados pelos Espíritos Superiores, codificados por Allan Kardec e que constituem a Codificação Espírita: O Livro dos Espíritos, O Livro dos Médiuns, O Evangelho segundo o Espiritismo, O Céu e o Inferno e A Gênese.


O Espiritismo é uma ciência que trata da natureza, origem e destino dos Espíritos, bem como de suas relações com o mundo corporal, sendo, ao mesmo tempo, uma ciência de observação e uma doutrina filosófica.


Oportuna a observação constante de “O Evangelho Segundo o Espiritismo” acerca do Espiritismo ser a ciência nova a revelar outras verdades aos homens, por meio de provas incontestáveis. Vejamos.


O Espiritismo é a ciência nova que vem revelar aos homens, por meio de provas irrecusáveis, a existência e a natureza do mundo espiritual e as suas relações com o mundo corpóreo. Ele no-lo mostra, não mais como coisa sobrenatural, porém, ao contrário, como uma das forças vivas e sem cessar atuantes da Natureza, como a fonte de uma imensidade de fenômenos até hoje incompreendidos e, por isso, relegados para o domínio do fantástico e do maravilhoso. É a essas relações que o Cristo alude em muitas circunstâncias e daí vem que muito do que ele disse permaneceu ininteligível ou falsamente interpretado. O Espiritismo é a chave com o auxílio da qual tudo se explica de modo fácil.[2]


No tocante ao objeto de estudo do Espiritismo, vamos verificar ser este diverso do abordado pela ciência humana, que estudo as leis do princípio material, pois o objeto especial do Espiritismo é o conhecimento das leis que regem o princípio espiritual. Como reagem incessantemente um sobre o outro, o conhecimento de um não pode estar completo sem o conhecimento do outro.


Sobre os princípios material e espiritual, ainda falaremos mais detalhadamente na pergunta 33, quando abordamos sobre os princípios gerais do Universo, mas em linhas gerais podemos dizer que acima de tudo está Deus, que cria os dois princípios gerais, o material, dando origem a tudo que é matéria no Universo, desde a mais pura e etérea a mais densa, e o princípio espiritual, originando o Espírito.


É por isso que Allan Kardec, em “A Gênese”, nos fala:


O Espiritismo e a Ciência se completam reciprocamente; a Ciência, sem o Espiritismo, se acha na impossibilidade de explicar certos fenômenos só pelas leis da matéria; ao Espiritismo, sem a Ciência, faltariam apoio e comprovação. O estudo das leis da matéria tinha que preceder o da espiritualidade, porque a matéria é que primeiro fere os sentidos. Se o Espiritismo tivesse vindo antes das descobertas científicas, teria abortado, como tudo quanto surge antes do tempo.[3]


Como a ciência já conhece e estuda o princípio material, encontra-se agora apta ao estudo do segundo princípio, o espiritual, de modo a conhecer mais completamente as Lei de Deus e suas relações com os mundos material e espiritual.


Em suma, os fenômenos espíritas, aqueles produzidos pelos Espíritos desencarnados, são a base e a substância da Ciência Espírita. O estudo e conhecimento desses fenômenos servem para o descobrimento das leis que os regem. O Espiritismo demonstra e estuda a manifestação dos Espíritos, suas faculdades, sua situação feliz ou infeliz, o Mundo Espiritual.


Outro aspecto fundamental da Doutrina Espírita e que será mais profundamente abordado na pergunta 04, é o seu tríplice aspecto: ciência, filosofia e religião. As verdades do Espiritismo têm bases filosóficas, são demonstradas cientificamente e se desdobram em consequências religiosas.


Chico Xavier, ao comentar o tríplice aspecto da Doutrina e o fato de alguns desejarem separar a parte científica, filosófica e religiosa da Doutrina, lembrou:


Se tirarmos a religião do Espiritismo fica um corpo sem coração, se tirarmos a ciência fica um corpo sem cabeça e se tirarmos a filosofia fica um corpo sem membro.[4]


Além do tríplice aspecto da Doutrina Espírita, cabe ainda mencionar ser baseado em alguns princípios básicos, a saber: Existência de Deus, a Imortalidade da alma, a pluralidade das existências, a pluralidade dos mundos habitados e a comunicabilidade dos Espíritos. Na pergunta 06 teremos a oportunidade de estudar detalhadamente cada um destes princípios fundamentais.


Para finalizarmos a abordagem inicial acerca do que vem a ser o Espiritismo, não poderia deixar de destacar ser ele considerado o Consolador Prometido por Jesus, quando disse:


15. Se me amais, guardai os meus mandamentos.

16. E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre;

17. O Espírito de verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê nem o conhece; mas vós o conheceis, porque habita convosco, e estará em vós.[5]


No pergunta número 10, vamos compreender mais amiúde a razão pela qual o Espiritismo realiza o que Jesus disse do Consolador prometido, mas resumidamente é porque o Espiritismo traz o conhecimento das coisas, faz com que o homem saiba donde vem, para onde vai e por que está na Terra, atrai para os verdadeiros princípios da lei de Deus e consola pela fé e pela esperança.

[1] KARDEC, Allan. O Livro dos Espíritos. Introdução ao estudo da Doutrina Espírita. Item 1.


[2] ______. O Evangelho Segundo o Espiritismo. Capítulo 1. Não vim destruir a lei. O Espiritismo. Item 5.


[3] ______. A Gênese. Capítulo 1. Caráter da Revelação Espírita. Item 16.


[4] Portal Artigos.com. Disponível em:< http://www.artigos.com/artigos/6775-entrevistas-com-chico-xavier-versus-reflexoes-de-francisco-amado>. Acesso em 06.06.2018.


[5] João, 14:15-27.

2020 © Todos direitos reservados Conhecendo o Espiritismo