top of page

Primavera de Marta - Mensagem do dia 09.06.2022



Não há um só dia na Terra onde não sejamos alvo preferencial desse ou daquele adversário gratuito.


Tentando acertar, nos esforçamos na oficina onde a Divindade nos situou e é aí, não raro, que se localizam antagonistas e opositores.


Deflagram, às ocultas, petardos de inveja, em indisfarçável despeito dessa ou daquela conquista que já adquirimos nas trilhas da evolução.


Sorriem pela frente, manipulando o punhal pelas costas.


Tecem junto a ouvidos de plantão bem urdidas críticas sobre nossa conduta, fazendo destaque de nossas limitações ou de nossas fragilidades.


Fraternalmente, puxam o tapete e posam de plateia ante nossa provável queda espetacular.


Possuidores de morbo contagioso, sabem como espalhar mentiras e boatos, nos situando perante terceiros e chefes imediatos como servidores negligentes e desidiosos.


Na constelação familiar, sabotam nossa influência no seio da família, costurando intrigas que tem toda a aparência das boas intenções.


Toma cuidado com eles.


São enfermos de mau aspecto, pesando negativamente na economia do mundo. Voluntariamente, se fizeram assalariados das sombras e trafegam do amanhecer ao crepúsculo do dia sempre trabalhando pela metade, pois que gastam vultosas cotas de energia na pequenez que os caracteriza.


Eles também sofrem.


Alguns foram alvos de bullying na infância e se transfiguraram em adultos amargos. Outros, provém de lares tumultuados, onde pais ausentes ou mães castradoras se fizeram verdugos dos próprios filhos.


Alguns, hebetados e tardios no aprendizado, não avançaram além dos cursos fundamentais da escolarização, odiando aqueles que lograram, com muito esforço, adentrar os bancos universitários e os lauréis acadêmicos.


Não lhes acolha as insinuações perversas.


Arruinaram teu dia.


Cumpre teus deveres e quanto esteja ao teu alcance, distende algum auxílio a essas almas pigmeias.


Adota a gentileza sem pieguice e o elogio sem bajulação quando eles venham a dar conta dos próprios deveres.


Chefiando, corrige os desacertos cometidos sem os humilhar ou lhes expor as limitações perante os demais. Estando subordinado, faz o melhor que esteja ao teu alcance para manutenção de uma consciência tranquila.


Tendo que conviver curta ou longamente com eles, acrisola as lições que dessa convivência advenha. Mais tarde eles reconhecerão que fostes um grande amigo, que sabia o quanto eram mesquinhos e agressivos, mas nunca te valeste de uma ocasião para agravar o que já era difícil.


Te faça querido, mas não meloso.


Austero, mas não despótico.


Amigo, mas não cúmplice.


Compreensivo, jamais condescendente com erros e defecções.


Surgindo alguma ocasião propícia, como confraternizações e festas natalinas, exalta a compreensão e a colaboração como preciosas ferramentas de uma convivência fecunda e rica de bênçãos.


Destaca que cada pessoa tem seu valor, carregando consigo possibilidades que merecem investimento para sua expansão luminosa.


Exalta o cooperativismo.


Os vendo seguir adiante, encoraja-os. Se for tu a partir para outra empresa, deixa sobre a mesa uma flor ou uma frase de paz.


Teu exemplo não será esquecido.


Tua postura os ajudará a mudar as próprias condutas.


Nunca te sintas tão grande que rivalizes com Deus, nem tão pequeno que te imagine no mundo atômico. "Se tiveres consciência de quem és, o elogio não te fará melhor, a crítica não te fará pior", sempre afirmou a nobre educadora Joanna de Ângelis.


Vai! Tens à frente outros campos de lutas onde Deus te requisitará o concurso para modificar a convivência com pessoas difíceis e temperamentos opostos.


Desce à vinha do Cristo e trava contato com os servidores fiéis e ingratos, honrados e indignos, operosos e néscios.


Estão por toda parte.


Em meio a tantos comuns, sê tu a diferença.


Se já sabes disso, és responsável pelo manejo desse conhecimento.


Marta

Salvador, 09.06.2022

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page