top of page

Primavera de Marta - Mensagem do dia 10.01.2022

Atualizado: 11 de jan. de 2022



O mito de Ícaro permanece vivo em muitas almas até os dias correntes. Filho do célebre artesão Dédalo, após seu pai ter cometido um homicídio em Atenas, foi este condenado ao desterro, fugindo com seu filho Ícaro para Creta, onde se colocou a serviço de Minos. Irritado pela ajuda que Dédalo emprestou a Teseu para vencer o minotauro, monstro encarcerado num labirinto indecifrável, Dédalo foi preso junto com o filho na ilha, ocasião em que construiu duas asas, juntando as penas dos pássaros e cera de abelha, fazendo um audacioso voo pelo mar Egeu. Mesmo advertido pelo pai de que não se aproximasse em demasia do sol, Ícaro, deslumbrado com as alturas, voou em direção deste, perdendo a cera e se precipitando no mar, onde sucumbiu. Seu pai conseguiu safar-se, chegando às costas da Itália, onde viveu ainda muitos anos.


Voar, transpor limites, singrar além das próprias limitações, constitui metas de muitas vidas.


Entretanto, nem todos possuem a coragem para o enfrentamento dos desafios que a convivência interpõe entre o campo de batalha e o triunfo sonhado.


Muitas almas desistem da luta logo aos primeiros embates.


Outros, se afastam da aspereza do caminho assim que se vêem contrariados.


Traídos por amigos e comparsas de delitos, diversos abandonam os sonhos e se fazem eremitas ou ermitões compulsórios, buscando no isolamento não terem mais aproximação com a promiscuidade humana.


Sem sombra de dúvidas que a vida se constitui num campo minado, onde a cada passo se pode pisar numa mina e tudo fazer explodir. Nem sempre os anseios logram triunfo, e muitos sonhadores apenas constatam que seus desejos se converteram em pesadelos cruéis.


Adversários de variados quilates e procedência surgem de todos os lados, dificultando a marcha e impondo derrotas aos tentames anelados.


Somente as constituições psicológicas firmes e decididas conseguem atravessar o sarçal de espinhos e as pedreiras da estrada, logrando materializar projetos, muitos dos quais já no fim da vida.


A experiência evolutiva é sempre uma incógnita, como um voo em plena noite.


Somente caracteres determinados e decididos conseguem sobrepairar acima das decepções do mundo, sustentando o ideal que lhes norteia a vida, e estes são poucos e raros de se encontrar. Tombam, como os demais, várias vezes na estrada palmilhada, mas não desistem, recomeçando a tarefa com o mesmo entusiasmo da primeira hora.


Logram ofertar ao mundo e a seus contemporâneos o exemplo da tenacidade que escasseia nos dias que vivemos.


São tidos como heróis, quando na verdade são tão humanos quanto qualquer outro.


Buscaram as alturas, mas não se deixaram queimar pela ardência solar, conservando equilíbrio e bom senso nos projetos abraçados.


Estão eles por toda parte. Anônimos e humildes, não desejam ganhar o mundo.


Lutam apenas por um mundo melhor.


Sabem compartilhar o pouco que têm.


São ricos de solidariedade e pobres de avareza.


Cirineus da estrada, fazem-se arrimo de muitas vidas. São capazes de abandonar os próprios sonhos para que outros saiam de seus pesadelos constantes.


Por onde passam, deixam no solo rastros de luz. Não são alados, mas se fizeram Ícaros consistentes e perseverantes, sobrenadando as incertezas humanas, consolidando em muitos a fé robusta e a esperança que nunca espera o triunfo de braços cruzados.


O homem de Nazaré foi o maior deles. Fez de uma cruz de madeira asas, com que abandonou as depressões terrestres para retornar às regiões felizes, de onde prossegue até hoje inspirando homens e mulheres ao desiderato do bem.


Tendo ou não asas coladas às costas com cera frágil, faze-te audaz nas metas estabelecidas.


Voa, além destes horizontes estreitos, buscando a terra de tua promissão.


Desapega-te deste solo de lama em que julgas garimpar o ouro falso de tuas ilusões.


És filho de Deus, herdeiro do universo.


Teus espaços são mais amplos e vastos do que esse limitado cenário em que te agitas, nas agonias do mundo.


Se pensas ser um simples colibri, teu vôo não irá além das flores mirradas desse jardim de aparências. Se aceitas ser um condor, a cordilheira dos Andes te espera desde já.


Vai, lança-te além dessa prisão emocional e executa teu vôo para a plenitude!


Sê um novo Ícaro sobre esse Egeu infinito de possibilidades.


Jesus te aguarda além das alturas e conquistas transitórias do mundo.


Marta

Salvador, 10.01.2022


Posts recentes

Ver tudo
bottom of page