top of page

Primavera de Marta - Mensagem do dia 19.08.2022



Tomado pela volúpia da posse, o ser humano se agita e se movimenta, descontrolado, nos tempos presentes. Ansioso por soluções mágicas, instantâneas para os complexos problemas que carrega, elege gurus e conselheiros de ocasião, muitas vezes só dando um passo na vida depois de ouvir essas vozes remuneradas.


A roupa da festa ou da formatura, que deverá ser escolhida entre badalados estilistas de moda, a indicar esdrúxulas vestimentas, com o objetivo de ser a sensação do acontecimento e das redes sociais.


A atuação na bolsa de valores ou no sensível mercado de capitais, onde não se pode agir sem ouvir especialistas em investimentos, que indicarão com segurança onde melhor investir para polpudos ganhos futuros.


Uma simples viagem de recreio ou excursão entre amigos e indispensável se faz consulta a turismólogos e agentes de viagem, buscando os melhores roteiros e as praias mais comentadas da temporada.


E quando os problemas existenciais parecem trincar o chão e situar o indivíduo nos paroxismos das alienações mentais e na perda do controle sobre a própria vida, surge a imensa necessidade de recorrer a terapeutas e clínicos que possam prescrever medicamentos ou aconselhar o melhor rumo a seguir.


Na travessia dos oceanos do mundo barco algum poderá dispensar as cartas náuticas. Avião algum decola sem um mapa aéreo previamente aprovado pela autoridade competente.


Viagens terrestres para locais nunca antes visitados tem ajuda do GPS, valioso roteiro de natureza virtual, sob amparo de satélites posicionados em derredor do planeta.


Se para tantas ocorrências da craveira comum não dispensamos o aconselhamento com terceiros, como proceder quando a vida parece se tornar uma nau sem rumo?


A quem recorrer para ajustes da caminhada quando a fragilidade nos assalta e a solidão finca morada em solo profundo da alma?


Como decidir corretamente quando fazemos de nós mesmos um julgamento pouco recomendável?


Uma ovelha sem pastor e desgarrada do rebanho corre sério risco nas campinas isoladas.


Uma tainha ou sardinha apartada do cardume se torna presa fácil de predadores impiedosos.


Um cristão sem Cristo ignora de onde veio e para onde vai.


Pode conhecer a letra evangélica, mas a ela se agarra desvairado, tornando-a mais uma ferramenta do fanatismo religioso, ignorando o Espírito que a vivifica.


Chamado a opinar, se vale se chavões teológicos, sem ofertar segurança a quem o consulta, pedindo conselho e diretrizes para a própria caminhada.


Se hoje se mostra seguro e corajoso diante de problemas e desafios existenciais, amanhã desaba em lágrimas doridas e estanca os passos, receoso de avançar.


De adulto, passa a um comportamento infantilizado e inconsequente, como um menino de quem se furtou o pirulito.


Certamente que nem todas as manhãs serão de triunfo, nem toda tarde será de vitória e nem toda noite permitirá um sono tranquilo. Mil problemas desafiarão o ser em sua marcha ascendente, adversários perturbarão a serenidade e nossa sombra turvará a visão da estrada. Inegável reconhecer que um amigo nessas horas, uma voz de aconselhamento será de inestimável valor, mas nem sempre fruiremos dessas possibilidades salvadoras.


Há momentos na vida que o alto determina solidão compulsória para fortalecimento das próprias iniciativas. Impede o aconselhamento de terceiros para que nosso livre arbítrio amadureça no terreno das experiências intransferíveis.


É possível que estejas atravessando um desses momentos. A família distante, os amigos em terras estrangeiras, o consórcio matrimonial em soçobro, a carência de recursos para a sobrevivência, os testemunhos em chuva copiosa e a saúde fragilizada pelo ataque das enfermidades oportunistas.


Sim, ninguém blindado ou isento de viver tempos difíceis, instantes amargos, solidão intragável.


Se atravessas teu campo de testes, aconselha-te com a prece e nela verticaliza teus projetos.


Observa, além de tuas acanhadas fronteiras, que um horizonte mais vasto se alonga além de teu olhar, nevoado de pranto.


Não te faças amargo para quem te procure para compensar as próprias carências, ignorando que estás descompensado e sem rumo.


Quem te busca auxílio está pior do que tu. Já não sabe a quem recorrer.


Se adotaste Jesus como roteiro, guia e modelo de tua existência, nunca estarás à deriva ou perdido na noite escura. Em meio aos trovões, Ele se fará silêncio em tuas províncias conturbadas. Te sentindo sem rumo, o Mestre descortinará roteiro novo para tua marcha. Apunhalado por alguns em quem confiastes, Ele fará sutura em teus ferimentos emocionais.


E quando a massa enlouquecida ou destrambelhada se voltar contra teus melhores ideais, recorda D'Ele com infinito carinho, sacode o pó de tuas sandálias e retoma a caminhada.


Ele prossegue sendo o bom pastor e não te deixará ao abandono, nunca!


Marta

Salvador, 19.08.2022

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page